segunda-feira, 14 de março de 2011

Procura-se...


Procura-se...

...um olhar que represente o mundo, que me conheça a fundo, e que não me condene por ser como sou;

Procura-se um coração não mais bandido, que também já fora ferido e hoje está a procura de amor;

Procura-se alguém, que se foi sem ir, que não se despediu ao partir, e sem olhar pra traz se foi...

Eu procuro a quem ainda não achei, a quem por tanto tempo esperei, e por tantas vezes me perdi na ilusão de achar ter encontrado.

Procuro você que da minha vida já fez parte, e sem grandes esforços a fez sua, e depois de tomá-la pra si, se foi, sem pensar enquanto pesava seu ilusório adeus.

Eu procuro por meu próprio coração sequestrado por certo alguém, que tinha o dom de transformar os prazeres carnais nos mais puros sentimentos do coração.

Eu procuro quem um dia me achou, me envolveu e partiu. Eu lhe procuro. Procuro como o sedento no deserto busca água, como o rio procura o mar, como chuva busca ao chão. Procuro a cura para essa imensidão sem fim, para esse beco sem saída, busco enfim você, AMOR DA MINHA VIDA!

Adaptações do amor


Adaptações do amor

Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta.
O amor não é chegado a fazer contas, nem obedece à razão.
O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estrelar, pois ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano, isso são apenas referenciais. Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca. Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.
Porque o amor, é compreensivo, é amigo, é acolhedor. O amor e companheiro, é fugaz, é lindo aos olhos que quem o vive.
E quem ama, de nada mais precisa a não ser o sorriso do amadoª que invade e infunde todo seu ser.

Ao meu ex-poeta


Todas as musicas ainda me tocam como se fosse o princípio de tudo e nada de mal não tivesse acontecido.

Dos meus dedos ainda saem poemas referentes a você, referentes a esse amor que depois de platônico nada foi...

Ainda sonho com os afagos que nunca existiram, e por hora me pego acreditando que você é em período integral aquele poeta, amante e sedutor, aquele amigo, companheiro e bom ouvinte, mas desperto e lembro que mais uma vez deixei-me ser levada pelas minhas inúteis idealizações.

Eu queria poder saber como vai você, como vai a sua vida, como vão seus planos, e o seu doutorado, e seus estudos, e seus livros e seu coração?...

Eu queria poder te ter mais uma vez em meus braços como um indefeso, e lhe protegeria mais uma vez. Eu queria gritar com seus medos, espantando-os um a um, e ver mais uma vez a admiração no brilho do seu olhar.




Eu poderia te esquecer, mas como sobreviveria sem seus cinco sorrisos? Como eu poderia ouvir 'Sapato Novo' sem lembrar do nosso amor, do meu amor? Como eu poderia ser eu mesma se não amasse você?

Eu queria ouvir elogios seus mais uma vez, ouvir de outros o quanto você me adora, e saber que isso é sincero.

Eu queria sentir seu cheiro, só hoje....

'[...]levo assim calado, de lado, do que sonhei um dia, como se a alegria recolhesse a mão pra não me alcançar[...]'

Que vontade que eu tenho de lhe pegar pelo braço e lhe obrigar a me amar, de pedir pra você parar com essa tortura, que pare, e volte....

Mas isso não faz parte de mim, então sigo levando a saudade de tudo o que um dia valeu a pena.

Querer


Querer
Quando de matéria eu não mais passar, eu quero que tudo isso seja lido, e cada lágrima de dor por essas mãos escritas se tornem alento ao coração dos ouvidos que as ouvirão.
Quero ecoar mais que os sinos da catedral e conseguir ir mais longe que o vento norte. Eu quero aquecer a ponto de quase queimar, eu quero exaltar o fosco e dar brilho ao oprimido.
Eu quero ser exigida nos vestibulares, eu quero não ser compreendida de imediato e ser fonte de interrogações. Eu quero ser extremamente questionada.
Eu quero ser considerada herege, eu quero ser vista como santa.
Na verdade eu queria não ter que ir, mas se eu for, que eu fique.

Pelos amores que vivi...


pelos amores que vivi,
guardo na memória os sorrisos e felicidades. Pelos amores que já senti, guardo na lembrança as promessas de eternidade. Por tantos amores já vivenciados de nenhum me arrependo, nem mesmo daquele que até hoje não vejo fundamento. Mas talvez seja esse o verdadeiro sentido de amar... Não haver sentido algum.
Amamos e deixamos inúmeros amores, e toda vez que um novo começa achamos que é pra todo o sempre, e juramos não mais errar. Como se isso fosse humanamente possível!
Somos apenas seres humanos, e esse 'apenas' não é pouco, simplesmente é, e como tudo na vida que existe, nós e nossos amores tem um fim. Por isso viver com intensidade e ser feliz a sua maneira é o que deve lhe importar.
Eu demorei, caí, levantei, caí novamente, mas entendi, ou melhor, encontrei quem me ajudasse a entender todo esse tal mistério que amar.
O Amar não precisa de dons, nem exige muito de você. O amar só pede que você seja quem sempre foi, e mostre isso a quem realmente está afim de entender e compartilhar o tal sentimento.

Auto retrato



Eu sou do tipo que busca individualidade exata pra parecer que não faz tipo algum. Eu sou daquelas que querem ser únicas no mundo e que quer fazer com que o resto ao seu redor se dê conta da minha pseudo presença importante e auto – suficiente, tentando maquiar as marcas da extrema fragilidade que por vezes deixa transparecer o medo de estar sozinha e de não ser tão importante como o ego quer impor.
O maior dos problemas que tenho comigo é esse medo filho da puta de cair atravessando a rua, mesmo que por vezes eu já esteja no chão sem ao menos perceber. E é por isso que faço auto - análises sempre. Eu sou do tipo corajosa que tem medo de altura, do tipo forte que não consegue arrastar uma cama de casal, do tipo valente que nunca brigou na vida, do tipo conselheira que só faz merda, do tipo correta que xinga, do tipo mocinha que bate, do tipo cão que ladra e não morde porque tem medo de ser mordida também.
No fundo só alguns poucos do resto que não seja eu sabem o que eu sou, o outro resto só sabe o que eu quero ser. Às vezes acho que faço parte do resto que se limita a saber o que eu quero, tem dias que eu nem sei do que eu realmente gosto e outros que me afirmo como maior conhecedora de mim. Eu sou um embaraço que o padre batizou com um nome que às vezes gosto, às vezes não.

Meu segredo


Segredo
Se sentir a vontade com o mundo nos nossos momentos foi como eu descobri a cumplicidade tanto citada e tão pouco vivida. Chega a ser desconfortável essa confiança extrema, o perigoso é realmente mais envolvente. As epifanias do destino só confirmam a minha fé de que o futuro é completamente inesperado. Talvez correr riscos tão prazerosamente é que seja viver de fato. Saborosa, afetuosa, viva. As melhores sensações despertam e se misturam atingindo o limite do meu vocabulário. Nunca entendi nosso começo, não tenho idéia de onde começa o fim, mas o meio me mantém intensa, tensa, alerta, desperta.

Finitude


Acho que amor, quando é amor mesmo, daqueles que tiram o fôlego e o que mais a gente tiver , acontece de sopetão. É instantâneo, covarde. Pega a gente naquela esquina cheia de gente correndo e não quer nem saber se estamos atrasados, comprometidos, ressentidos ou de ressaca sentimental. Ele chega, te ignora, se instala, te devora, vai embora. É visita de médico, é distração, brincadeira, palhaço. Pega nosso coração nas mãos e o joga de um lado pro outro, mas nunca do lado de quem ele escolheu. Ou até joga, mas sempre por pouco tempo, sempre sem durar pra sempre. Amor dos bons não é infindo porque ninguém consegue se machucar pra sempre, ninguém agüenta o coração desenfreado ou quase parado por conta da dor por tanto tempo, ninguém sorri a toda hora e, além do mais, ninguém gosta de ser um idiota completamente efusivo e sinestésico por toda a vida. Amor dos bons acaba em drama, desespero, cacos, choro, saudade. Acaba pra dar sossego, intervalo de novela mexicana, pra comermos, trabalharmos, estudarmos, seguir em frente, viver. Amar a todo tempo é autodestrutivo, é deixar de respirar por poucas horas de prazer.

The end


Você merece, meu amor, alguém que te ame com a minha intensidade imperceptível, que tenha meu sexo, meu cheiro, mas que não seja eu. Eu te desejo a plenitude de um beijo apaixonado, a tua nuca arrepiada por conta dos sussurros ao pé do ouvido, o despertar ao lado de quem TE FAZ BEM, linhas cheias de carinho e vontade de ter pra sempre. Mas com alguém que não seja eu. Quero te ver rindo de tudo, assim como os idiotas fazem , porque isso é ser feliz ! Mas ria com alguém que não eu. Porque eu, meu amor, eu firo as pessoas, assim sem pretensão, mas firo. Eu tomo delas coisas que não tenho pra entregar por ser cheia de vazio.
É aquela velha história: o problema é comigo, não com você. E isso é real. Eu tenho um problema: não sei brincar de ser feliz. E você aí todo cheio de vida, amor e tantas outras coisas lindas não merece meu mundo extravagante sem cor. Eu, meu amor, não digo seu nome nessas linhas pra ter os últimos minutos de felicidade por ter um amor e por ele ser você. Obrigada.

- Quem não me entende, não merece meus pormenores. Te amo.

Tédio...


Engraçado como as coisas na vida mudam de lugar no tempo ridículo do piscar dos nossos olhos. A gente tá achando tudo um barato, tudo muito bom, as pessoas todas muito engraçadas, e articuladas, e divertidas. E de repente, lá se foi. Lá se foi o encantamento e: bom dia mau-humor!

Enche meu saco ver como eu sou mutável, como minhas opiniões oscilam, como eu gosto e desgosto tão rápido, tão forte, tão intenso. Eu sou intensa e sei disso desde o dia que passei aquela madrugada toda na sua frente, olhando pra sua cara-de-pau e criando as respostas todas por mim mesma porque a sua boca não teria coragem de falar, e a sua cabeça, menos ainda, teria sabedoria.

É, eu também sei que sou prepotente. E sou muito. Não porque eu realmente me ache melhor do que o que acontece ao meu redor, mas sim porque eu tenho ciência do esforço brutal que eu faço para conseguir ser sempre a pessoa que não pede para ir "no" banheiro. E daí eu me escondo atrás da minha ortografia perfeita e as pessoas acabam achando que eu sou perfeita também. Aí eu sinto pena delas. E sinto pena da Sandy também, que deve cagar flores do campo. Eu acho que eu devo ser obscecada pela Sandy, xingar tanto assim uma pessoa não é normal.

Aliás, essa é uma das manias que eu deveria abolir. Mas a real é que é tão divertido xingar tudo e todos. Experimente também. Xingue, esbraveje, cuspa fogo na cara de quem não tem paciência de se redimir e nem culhões para se entregar. Porque a cada namoro que ele começa por impulso, como quem troca de cuecas, ele acaba com uma parcelinha sensível do coração de alguém. E ele sabe disso. Eles sempre sabem de tudo, mas fazem porque o pinto manda. O pinto deles é sempre de ouro.

E aí eu fiquei fria. E aí me beijam e eu não sinto, me olham e eu não vejo, me querem e eu quero sair correndo.

Em todas as vezes que eu sonhei em ter alguma coisa pra sempre, com alguém que fosse pra sempre, eu sempre soube que eu estava errada e que o pra sempre nunca chegaria. Em todas as vezes que eu olhei pra algum rosto e pensei em sorrir, eu sempre sorri porque era de graça, e bom, e não tinha preço. Em todas as vezes que eu me vi feliz, eu aproveitei porque eu sabia, e ainda, sei que felicidade é momentânea, que as pessoas se apaixonam e se desapaixonam e não há nada mais gracioso do que a mudança de estado de espírito. Até o sofrimento pode ser bonito. Até poesia falando de cocô é poesia.

Sabe só o que eu queria de você? Um pouco mais de respeito. Porque esse, meu rapaz, é bom, e conserva os dentes da frente.

Sábia é minha avó.

Acaba?!


O amor acaba?

O amor acaba? O cara disse. Numa esquina, num domingo, depois do teatro e do silêncio, na insônia, nas sorveterias, como se lhe faltasse energia. Ele não volta? Não deixa rastro ou renasce? Na esquina em que se beijaram uma vez, lá está, na sombra apagada pela luz, na poeira suspensa, na revolta da memória inconformada.

Na solidão, lá vem ele, volta, com lamento, um quase desespero, e penso nos planos perdidos, que vida sem sentido... Na insônia, o amor cai como uma tonelada de lápide, e se eu tivesse feito diferente, e se eu tivesse sido paciente, e se eu tivesse insistido, suportado, indicado, transformado, reagido, escutado, abraçado? Na sorveteria, ele volta, o amor, em lembranças. Porque aquele sabor era o preferido dela, aquela cobertura era a preferida dela, aquela sorveteria era a preferida dela, aquela esquina, aquele bairro, aquele clima, aquela lua, aquele mês, aquela temperatura, aquela raça de cachorro, aquele programa de fim de tarde e aquele horário sem planos...

No elevador, quantas saudades daqueles segundos em silêncio, presos na caixa blindada, vigiados por câmeras camufladas, loucos para se agarrarem, rirem, apertarem todos os botões, tirarem a roupa, escreverem ao lado do Atlasado: “Eu te amo”. Saudades é amor. Não se tem saudades do que não se amou.

O amor não acaba, porque tenho saudades, me lembro dela, me preocupo com ela, torço por ela, e se sonho com ela, meu dia está feito. O amor não pode acabar, porque sem ela ou sem a esperança de revê-la, até a chance de tê-la de volta, não vejo a paz. Ela é uma trégua na minha guerra pessoal contra a minha paixão por ela. Amá-la me faz bem. Mesmo que ela não me ame, amo amá-la. Continuei amando desde o dia em que terminou. Passei meses amando como se não tivesse acabado. Ficaria anos amando mesmo se não tivesse voltado.

O amor não acaba, muda. O amor não será, é. O amor está. Foi. Nas tantas músicas que ouvimos, que dançamos colados, trilhas das noites frias em que você sentava em mim nua, enquanto os meus braços imobilizavam os seus. Amor. O não-amor é o vazio. O antiamor também é amor. Eu te amava quando você respirava no meu ouvido. Lembra do meu dedo dentro de você? Amo-te, amo-te, amo-te. Instante secreto, sua boca incha, seus olhos apertam, suas unhas me arranham e você diz: Eu te amo!

O amor acabou quando você se foi? Você sentiu saudades das minhas paredes, das cores das minhas camisas, da umidade da minha boca, do cheirinho do meu travesseiro, da minha torrada com mel, das noites pelados assistindo à tevê, dos vinhos entornados no lençol, do café da manhã com jornal, você sentiu falta de atravessar a avenida comigo de mãos dadas, de correr da chuva, de eu te indicar um livro, do cinema gelado em que vimos o filme sem fim, torcendo para acabar logo e ficarmos a sós, você sentiu falta da minha risada, inconveniência, de eu ser seu amante, noivo, amigo e marido, dos meus olhos te espiando, dos meus dentes mordendo e mastigando, ficou tanto tempo longe e pensou em nós especialmente bêbada ou louca, queria me ligar, me escrever, meu cheiro aparecia de repente, meu vulto estava sempre ali, acaba?

Diz que acaba. Como acaba? Não acaba. Diz, não acaba. Repete. Falei? Não acaba. Pode virar amor não-correspondido. Pode ser amor com ódio, paixão com amor. Tem o amor e o nada. Ah, mais uma coisa. Antes que eu me esqueça. O amor não acaba. Vira. Se acabar, não era amor.

Que seja doce



Sou uma iludida nata com o amor. Quando criança, me encheram de filmes em que príncipes encantados apareciam montados em cavalos brancos para salvar a princesa das torres do castelo, acordá-las do sono profundo com um beijo apaixonado e tudo o mais. O problema é que quando a gente cresce vendo esse tipo de coisa, começamos a achar que a vida real é igual. Ai, depois de sofrer, chorar, brigar com tudo e todos e gritar aos quatro ventos que você deixou de ser aquela moça infantil e boba que acreditava em princesas, cavalos e castelos, você passa a enxergar o real. Não existe príncipes. O que existe é aquela pessoa que te tratará como ninguém mais te tratou e você vai gostar. Ele vai te ouvir, te fazer carinho, te olhar nos olhos e dizer o quanto você é linda e importante pra ele. Vai pagar a conta e te levar no cinema pra assistir aquela comédia romântica que você passou a semana toda dizendo que estava louca pra assistir. Vai te levar pro almoço da família e pedir pra avó fazer a sua comida predileta. Ele vai te mandar mensagens dizendo que está com saudades e que não vê a hora de te ver logo. Ele não é um príncipe por fazer tudo isso. Ele é uma pessoa real que gosta de você, e que não importa como seja o futuro (ou não futuro) de vocês, ele quer te ver bem e ao lado dele sempre. Ele vai te fazer sorrir quando se lembrar dele. Vocês vão brincar, brigar e fazer planos. Isso vai te fazer pensar que ele é o seu príncipe, e que você é a princesa e que ele veio te resgatar da torre fria e mórbida que era sua vida. E você nunca mais vai querer sair de perto dele. Se você vai se iludir com isso depois ou não, ai já é um outro problema. O importante é aproveitar cada minuto se caso esse homem comum disfarçado de príncipe aparecer. Porque, acredite, vai valer a pena! :)

O amor é uma doença


Eu não sei guardar coisas. Se eu compro chocolates, como todos no mesmo dia.
Se eu compro balas, chicletes, devoro todos em minutos, compulsivamente.
Detesto saber que algo me espera, quero acabar logo com aquilo.
Não sei lidar com a responsabilidade da felicidade. A felicidade guardada na bolsa ou na vida.
Eu tenho um homem lindo me esperando essa hora, e eu quero com todas as células do meu corpo ir ao encontro dele. Mas eu não sei lidar com tanta felicidade, por isso estou planejando a morte dele.
Estou planejando matá-lo com minha estupidez, quero que ele morra fulminado pelas minhas armas de boicote.
Quero que ele perceba o quanto sou chata, ciumenta, louca e doente. E que ele enjoe logo da minha cara abatida de intensidade. Que ele pegue logo bode do meu cansaço em viver tanto, porque vivo muito mesmo quando estou deitada olhando para um ponto fixo.
É tão cansativo ser eu mesma com todos os meus medos e neuroses, e quero que ele sinta o fardo do meu peso.
Morra e me liberte dessa alegria incontrolável. Passe desta para uma melhor, porque eu sou um lixo.
Eu lembro daquele conto da Clarice em que a garotinha ruiva guardava os contos para ler depois, porque queria prolongar o mistério da felicidade.
Pois eu quero mais é botar fogo em todos os contos de felicidade que a vida escreve para mim, porque por alguma razão maluca a felicidade me escraviza, me paralisa, me faz ficar triste.
Eu olho para você e tenho tanta, mas tanta alegria em saber que você existe, que sinto ódio. Ódio de eu não mais esperar por você.
O sentido da minha vida era encontrar você. O motivo para eu seguir adiante nos corredores escuros e bater em portas obscuras, era a sua busca.
Agora que você está sentado numa sala clara e óbvia, não preciso mais me enfiar em buracos. Mas os buracos eram a única trilha que eu conhecia.
Você me soltou na atmosfera e eu estou voando. E eu sinto saudades do buraco, da espera, da angústia.
Eu sinto falta de olhar triste para o espelho e me sentir metade. Agora que eu tenho você, nem perco mais meu tempo olhando para o espelho, porque só tenho olhos para você.
Você me roubou de mim mesma. E eu sou tão ciumenta que estou com ciumes de mim. Você me tirou da minha vida incompleta. E me transformou numa completa idiota.
O amor é uma doença. Eu sinto náuseas, febres, dores musculares. Eu acordo assustada no meio da noite. Eu choro à toa.
Eu estava do lado da sujeira, eu era a outra, eu estava por dentro do crime.
Você me fez sentir um mundo limpo, verdadeiro e eterno. E esse mundo é tão novo pra mim, que eu te odeio. Que eu estou pequena nele, e preciso de você o tempo todo para me abraçar e dizer que está tudo bem.
E quando você não está por perto, eu caio. Porque não sei nada desse mundo de alegrias e coisas bonitas.
Você não me deu saída. Você transformou todas as vozes que me davam escapatórias para outros corredores, em sons sem lábia. Minhas saídas perderam as escadas escuras e charmosas, porque você lavou meu chão de imundícies com amaciante Fofo.
Se eu tentar fugir, escorrego no perfume da minha nova vida. A nova vida que não sei viver. A nova vida que quero viver ao seu lado. Ao lado do homem que eu odeio porque nunca amei tanto.
Ao lado da felicidade que eu odeio porque se ela acabar, não sei mais se consigo voltar pra casa. E nem se quero.
Era eu, entende? Era eu que me atracava com o lado errado da vida para estar sempre certa. Era eu a resposta para todas as perguntas que ninguém tem coragem de perguntar. Sim, o mundo é imperfeito, as pessoas traem, o amor não existe, seu marido me come, seu namorado me come, o mundo quer me comer enquanto você borda seu laço cor-de-rosa.
Agora eu estou aqui, inconformada com o seu passado, querendo matar suas lembranças. Com ciumes do seu silêncio porque ele está com você há mais tempo do que eu e eu tenho medo do quanto ele te consome, com ciumes do seu sono porque ele te leva do meu foco.
Com raiva da sua importância porque ela me congela, com raiva do tempo que não dura para sempre quando você me olha sabendo das minhas loucuras e ainda assim me amando.
Agora eu estou aqui, querendo que todos os amores do mundo durem para sempre, e que nenês nasçam, e que árvores cresçam e que garotas vagabundas não nos invejem e que os desejos das nossas sombras não nos traia.
Agora eu estou aqui, de quatro, de lingua no chão, te odiando muito, virando a cara, socando você, cuspindo em você, te tratando mal, tudo isso porque não sei lidar com o mundo girando na minha barriga, a tontura do amor, o enjôo do vício em você, a dor do músculo quando me separo.
Pode parecer maluco, mas todas as minhas súplicas para que você desista de mim, é um jeito maluco de pedir que você não desista nunca, pelo amor de Deus.

Quem conhece, sabe...


"Se você gosta de mulheres que adoram conversar sobre qualquer assunto, e parecem nunca saber a hora de parar de falar, então acaba de encontrar a outra metade da laranja!
Mas, ao contrário de imaginar que passar horas ao seu lado conversando sobre os mais variados assuntos pode ser uma chatice, vai acabar ficando encantado. Ela vai dar aquele sorriso insuportavelmente delicioso a cada três frases que disser e você vai sentir o quão maravilhosa ela pode ser. Esta mulher parece brilhar quando faz aquilo que mais gosta: discutir um assunto!

A geminiana é feita de bondade, delicadeza, justiça, amizade, teimosia e indecisão.

Apesar de parecer frágil e ser muito feminina em seus gestos, na forma de se vestir e de falar, a geminiana é o tipo de mulher que pode surpreender quando resolve arregaçar as mangas da camisa para fazer um trabalho estritamente masculino. Ela vai se sentir como se estivesse em casa se tiver que dirigir um caminhão ou laçar um touro selvagem. Esta mulher, apesar de muito feminina, possui um traço masculino que, volta e meia, costuma cobrir o lado feminino. Mas em nenhum momento ela perde sua feminilidade. Antes de pegar o machado para derrubar uma arvore, ela vai passar o batom, arrumar o cabelo e borrifar um pouco de perfume que é para deixá-la mais a vontade.

Mesmo quando estiver nervosa a geminiana tentará parecer calma ou, pelo menos, controlada.

A mulher de gemeos é altamente intelectual e possui um grande poder de análise, que pode ser muito útil para resolver os problemas dos negócios do parceiro. Raramente ela deixará que as emoções a impeçam de tomar uma decisão desapaixonada ou de fazer um julgamento equilibrado. Com certeza, ela é muito melhor que o gerente do seu banco.

Seu temperamento foi feito para o trabalho em equipe. Ela quer participar do maior número possível de decisões que o parceiro tomar. Deseja fazer tudo a favor do parceiro e é mulher suficiente para seguí-lo quando ele desejar mudar de profissão, país ou fazer novas amizades. Ela adora estar cercada por pessoas, sente-se no paraíso quando pode reunir uma multidão de amigos para uma festa, onde vai passar horas dançando e se divertindo como poucos.

Poucas são as geminiana que sofrem de depressão ou tem problemas crônicos de saúde.
O segredo de sua vitalidade está em seu temperamento racional, pacífico e a repulsa que tem à impaciência. Pessoas impacientes e desesperadas costumam causar um mal estar na geminiana, que podem tirá-la do sério. Mas a maioria vai simplesmente preferir manter-se a longas distâncias de pessoas nervosas e impacientes.

A mulher de gemêos detesta confusão e normalmente precisa da harmonia para manter a estabilidade emocional.
Ela costuma ser dominadora, do tipo que gosta que todos estejam ao seu lado e façam o que quer. Porém, a geminiana nunca vai forçar ninguém a obedecê-la. Sua mão de ferro sempre estará calçada em uma luva de veludo, sua vontade e seu egoísmo sempre estarão acompanhados por sua delicadeza, educação e o mesmo sorriso encantador de sempre. Ela tem um jeito tão educado de impor suas vontades, que a gente fica até sem jeito de dizer "NÃO".

O companheiro sempre virá em primeiro lugar no coração da geminiana.
Normalmente elas tem uma sinceridade que pode deixar qualquer um sem jeito diante de suas afirmações ou comentários.

Se você é do tipo que gosta que as pessoas que fingem não ver os seus defeitos, evite pedir opiniões a geminiana. Ela não esconde o que pensa mesmo que isto provoque alguns maus entendidos. Afinal, se pediu sua opinião deve estar preparado para ouvir a verdade, não é? Mas, ela nunca é grosseira ou deselegante. Normalmente ela é direta sem fazer rodeios. Se uma amiga pergunta se está gorda, ao invés de disfarçar e tentar ser diplomática, a mulher de gemeos vai dizer que realmente ela está muito mais gorda do que a ultima vez em que se viram. Antes que a amiga tenha tempo de ter um ataque de baixa estima, ela vai dar-lhe um monte de receitas para perder a barriga, diminuir a papada e levantar o traseiro. A amiga vai estar quase tendo um ataque de nervos, e ela vai completar com a maior naturalidade: "...mas tem muita gente que gosta de mulheres gordas, caso você se sinta bem com seu corpo".

Tem gente que acha que a geminiana faz isto por maldade, mas não é. Ela faz por pura inocência e pelo amor que tem pela verdade. No fundo ela pensa que esta ajudando a amiga ao invés de fazer com que tenha uma crise de depressão!

Ela detesta ferir os sentimentos de quem quer que seja. Detesta dizer "não" e a idéia de ser injusta pode deixá-la doente.

Uma coisa que muitas delas costumam ter é manias. Quando uma geminiana resolve ter uma mania, podem se passar anos até que ela resolva abandoná-la. E o pior é que ela nunca acha que tem uma mania. Também costumam levar mais tempo para tomar uma decisão se pode adiar uma escolha. E o pior é que ela sempre se apressa em negar suas decisões. A primeira coisa que costuma dizer é: "Eu não tenho nada de indecisa!"

(in)decisão ... [ um pouco mais de mim ]


A garota com todos os sonhos do mundo. Uma princesa quenão se criou na rua. Uma moleca levada, que brinca de boneca, come guloseimas, faz travessuras e anda de salto sem saber usar. Uma pequena menina, que nunca deixa de crescer. E uma grande mulher , que nunca deixa de sonhar. Tenho sonhos de gente grande, sonho alto, corro atrás do quero e sempre consigo. Se tenho que contar com os outros para chegar onde quero e não posso contar, chego onde quero do mesmo jeito , e melhor , vou além pelos meus próprios méritos. Eu sou danada, gosto do proibido, do incomum, do instigante, daquilo que não pode que é errado. Gosto de beijo escondido, de carinho na dose certa, de fazer bico e fazer manha. Gosto das coisas simples, é nelas que encontro a real felicidade: comer brigadeiro na panela, ficar de camisola o dia todo, tomar sorvete no verão e chocolate quente no inverno. Gosto das coisas sinceras e bem declaradas, por piorem que sejam. Se todas as pessoas fossem sinceras, o mundo não teria tantas delegacias e penitenciárias. E sou chorona, muito chorona. Choro quando pode, e quando não pode também, quando dói e quando não dói. Choro de alegria e de tristeza, e choro de saudade. Choro com sinceridade, por carregar no peito um coração que gostaria de voltar no tempo e parar nele. E eu amo.Amo com todas as letras, amo como criança, como inocência e singeleza. Amo de verdade, amo sem restrições e sem limites. Mas não amo muita coisa, ser efusivo não é amar. Amo sem medo, sem frases pela metade, sem meias palavras. Amo em tempo integral. E amo singularmente. O mundo, bem, o mundo não corresponde ás minhas expectativas. E a felicidade pra mim, se conquista. A começar pelas pequenas coisas. Nem que venha no galope de uma mentira bonita pra me fazer sonhar. Confesso que gosto de mentiras sinceras. Quer me amar? Não precisa de muito pra isso, primeiro, precisa não precisar de mim, segundo não tentar mudar pra me agradar, e depois é só saber fazer surpresas. Quando me surpreender, me ganha. Tenho um coração maior do que eu . Amigos? Eu não abro mão dos poucos e bons. E por esses ponho a mão no fogo, dou a cara a tapa . Coragem eu tenho muita. Pra começar, coragem pra levantar da cama todos os dias de manhã sem deixar meus sonhos no travesseiro. E coragem, pra enfrentar o mundo e as pessoas, pra enfrentar os problemas da vida e encher a boca pra dizer que um tropeço ensina mais que um sucesso. Medos são poucos os que me afligem, não tenho medo de bicho, mas de gente. Tenho medo de gente que mata gente. Medo de ser mais uma vítima da gente que acha que é gente. E tenho medo de mim, por ser mais surpreendente e ás vezes, não me reconhecer. Os homens? Uma mulher como eu não precisa de homem pra matar barata, trocar lâmpada ou colocar um parafuso. Uma mulher como eu sabe ser homem sem descer do salto. E uma coisa eu garanto: Eu não paro. Posso quebrar a cara, machucar, cair. Mas parar por causa de um obstáculo, é se mostrar fraco demais pra que julga estar entre os grandes. Porque eu sei onde quero chegar, mesmo sem saber como. Sempre me pergunto quanto falta, se está perto, com que letra começa, se vai ter fim, se vai dar certo.Leio tudo: de bula de remédio á pensamentos. Leio o mundo como um livro antigo, que precisa de cuidados a mais. . Sempre pergunto se você está feliz, se eu estou linda, se eu vou ganhar estrelinha, se eu posso levar pra casa, se eu posso te levar pra mim, se o café ficou forte demais. Eu sou assim. Nada de meias-palavras. Já mudei, já aprendi, já fiquei de castigo, já levei ocorrência, já preguei chiclete debaixo da carteira da sala de aula, mas palavra é igual oração: tem que ser inteira senão perde a força. E tenho fé, fé em mim e nas pessoas que amo. Porque eu posso não ser o melhor ser humano, mas sei que um dia eu irei olhar pra trás e ver que fui um ser humano melhor. Porque metade de mim é amor, e a outra metade também.

[...] a parte da vida que desajaria apagar [...]




Dentre todas as dores que um ser humano pode passar, dentre todas as lições ensinadas na escola, dentre todos os valores aprendidos, há um elo perdido, que ninguém explica, mas todos sabem que um dia se depararão com ele. Muitos mais de uma vez na vida.
A perda é a pior dor que o ser humano pode enfrentar. Quando se perde coisas, ainda temos a opotunidade, de substitu-ilas, pois são objetos mensuráveis, podemos comprá-los. Mas quando se perde pessoas, perde-se um lado da vida que e, algum momento irá se manisfestar em nosso coração e nos atormentar com a dúvida: " Será que eu fiz o suficiente?". Porque pessoas são insubstituíveis, e o ser humano ainda não aprendeu que coisas são para serem usadas e pessoas para serem amadas. Ainda amamos coisas e usamos pessoas.
A morte é a dor mais incerta e ao mesmo tempo a única certeza de nossas vidas. Um dilema paradoxal que desde de a existência da humanidade se coloca como a única razão que confronta o ser humano e é capaz de deixá-lo sem reação, sem saber discernir o que fazer. O ser humano não sabe lidar com morte, apenas indaga-se com a dúvida que o vazio da morte lhe causa.
O comodismo é um mal parasitáiro, e o arrependimento será; quando nos deparamos com a morte, a certeza fria de que podíamos ter feito bem mais por quem amamos. Talvez nós não saibamos entender a falta de alguém pode fazer em alguns momentos, por essa falta ser aliada a um sentimento que chamamos de saudade. Mas saudade até então, é algo que pode ser controlado, é algo que se esvai. Quando a morte chega, saudade ganha um outro sabor, torna-se e eterna e amarga como o fel.
O mais importante da vida, já dizia Sheakspeare, é quem você tem na vida e não o que você tem.
O ser humano somente irá aprender a lidar com a morte quando na ausência dela, souber se fazer humano o bastante para superá-la. Não importa como ela venha. Pode ser no golpe de mais um crime que ficará impune, pode ser acompanhada de dor e longos períodos de sofrimento; pode ser silenciosa e fugaz, vindo de repente e suerpreendendo. Não impota como, uma hora ou outra, ela sempre vem. E para se fazer humano e vencer a morte é preciso ser intenso, expressivo e não poupar em nenhum momento atitudes, afeto e carinho. Por isso, não poupe quem convive com você deixando de dizer e demonstrar que você ama. Faça-o constantemente, diga que ama, aproveite, aprenda, viva, conte histórias, dê e receba conselhos, seja humano. Pois quando a morte chegar, você vai olhar pra trás e sentir-se apunhalado pelas costas, por não ter conseguido vencê-la ou por sentir vontade de fazer inúmeras coisas que você não fez enquanto a morte estava adormecida.
O desfecho da vida sempre nos remete à realidade de que pessoas não são eternas, mas que a dor de perdê-las pode ser. E se formos humanos o bastante enquanto a morte adormece, não sentiremos a sua chegada como uma peripécia do destino, como um golpe. Mas como o ponto final de uma existência plena, e o início de uma felicidade sem fim, como um momento de descanso que simplesmente não irá se exaurir. As lembranças de quem parte serão as fagulhas da morte em nossa vida, constantemente presentes rementendo-nos ao passado.
O fundamental é saber fazer tudo valer a pena e evitar a dor de uma saudade eterna.É saber viver intesamente cada momento,e aproveitar quem amamamos enquanto há tempo. Hoje, eu sinto a dor da perda de uma das pessoas que eu mais amava, mas sei eu fui humana o suficiente pra não me deixar vencer pela morte. As lágrimas que derramo, não são o pranto de uma saudade eterna, mas de uma saudade que só me remete a lembranças de que a vida foi bem aproveitada, e o coração que pulsou neste corpo que agora jaz a sete palmos do chão pulsou junto com o meu, fez a minha história como parte da sua. O amor é o remédio para todos os males, e quando o amor já não dá mais conta de fabricar emulsões de cura, entra a morte como aliada e amiga, basta saber senti-la como o descanso eterno para os corações pesados.
[música]
Tears In Heaven -Eric Clapton
[...]Lágrimas No Céu[...]
Será que você sabe o meu nome, se eu vi você no céu?
Seria o mesmo se eu vi você no céu?
Devo ser forte e exercer,
Por que eu sei não pertenço aqui no céu.
Você seguraria a minha mão se eu vi você no céu?
Iria me ajudar a me levantar se eu vi você no céu?
Eu vou encontrar meu caminho através da noite e do dia,
Por que eu sei que não posso ficar aqui no céu.
Tempo pode trazer você pra baixo;
tempo pode dobrar seus joelhos.
Tempo pode quebrar seu coração,
você implorando por favor, implorando, por favor.
Para além da porta há paz eu tenho certeza,
E sei que vai haver mais lágrimas no céu.
Será que você sabe o meu nome, se eu vi você no céu?
Seria o mesmo se eu vi você no céu?
Devo ser forte e seguir em frente,
Por que sei eu não sou daqui do céu.
Por que sei eu não sou daqui do céu.

Não sou gostosa, tenho cérebro. Serve?
Sempre o sexo frágil, as poupadas de tudo. Eles podem tudo, nós não podemos. Se uma mulher sai de casa menos feminina, logo desconfiam da coitada. Se um homem sai de casa trajando rosa, é bom gosto e estilo refinado. Se uma mulher quer fazer algo que seja considerado atividade exclusiva do sexo masculino, é metida a macho. Se um homem quer fazer algo que é preferencialmente bem executado por mulheres, é habilidoso.
Vistas como objeto muitas vezes, acabam colocadas numa sinuca de bico: a sociedade machista sempre quer colocá-las por baixo, na caçapa. Antes, éramos feitas para cuidar da casa, lavar, passar, cozinhar, arrumar, tim tim por tim tim. Agora, somos vistas como objetos sexuais. Esquecem que temos cabeça e não apenas peitos, que temos coração e não apenas clitóris, que caminhamos contra eles, e não apenas colocamos nossas bundas nas ruas para serem admiradas por eles. Mas eles se sentem superiores, desde sempre. A mulher não foi criada mesmo da costela do homem? Não é o homem que determina o sexo dos bebês? Eles fazem a diferença desde sempre. Doce ilusão. Se as mulheres foram criadas da costela do homem, me perdoem, mas eu não fui. Prefiro pensar que o papai do céu, criou a mulher depois do homem, por que viu que homem sozinho é um nada, já mulheres sozinhas, conseguem de tudo: das tarefas masculinas, ao prazer sexual que essa cambada de machistas enche a boca pra falar que só eles sabem dar.
Dizem que eles são de Marte e nós somos de Vênus. Que eles são aprência e níos somos essência. Nós dizemos que eles não prestam, eles dizem que se mulher prestasse, Deus teria uma. Tentam sempre calar a nossa boca. Mas perguntem se eles conseguem se imaginar sem nós? Não, eles enlouquecem. Já nós sem eles... só repare no feminismo cada vez mais crescenter na sociedade. Eles perdem.
A ciência tenta explicar as diferenças. A psicologia aponta caminhos pra a convivência harmônica.
Mas chegar a conclusões que convençam nós mulheres, de que somos o sexo frágil? Nem Freud, nem Darwin. Talvez porque não sejamos mesmo. E porque por trás de cada grande homem existe uma grande mulher.
Algumas mulheres, chegam a conhecer os homens tão bem que se dão conta do quão subestimáveis eles são. E acham que nos levam no bico. Essas mulheres percebem que homem, o único que merece respeito é aquele que lhe dá a vida. E mais nenhuma exceção. Ainda bem que me encaixo nessa categoria. E que sou mulher, pela essência da palavra. Se eu fosse homem, seria gay. Não daria ás mulheres, o gosto do desprazer de ser usada, e mais aquele monte de blá blá blá que todas já sabem.
Homem? é dificil falar, prefiro não compreender e conto nos dedos os que não me causam nenhum tipo de repugnância, por que eles são extamente, como a planta da foto, é preciso somente um assopro pra que escapem de suas mãos e saiam ao vento, á procura de mais uma, da próxima da lista. O que isso siginifica? Somente a confirmação de que o que eu pensava sobre mim mesma está se consolidando. É mamãe, sua filha não é exatamente o que vc sempre sonhou,ela pensa tem cerebro e as vezes isso não é compreendido.

Não me achu...



Não sou gostosa, mas tenho cérebro serve? Não sou gostosa e sou feliz e ponto final. Nõ faço parte desse bando de mulheres que vivem mergulhadas nesse mundo de blá blá blá das revistas de beleza. Não páro para assistir a documentários trazendo a mais nova moda de Paris. Não vejo graça em cultuar peitos que apontem sempre pra frente e bundas que desafiem a lei da gravidade. Muito menos em fazer dietas mirabolantes em busca do corpinho esguio das modelos.
Tenho a anca gorda, como sem culpa. Sem me preocupar com quantas gramas irei engordar me deliciando numa barra de chocolate. Não ligo muito para coisas fúteis:Se meu cabelo não acorda perfeito, se aparece uma espinha na testa bem no dia da festa, se o esmalate borrou um pouquinho. Eu me amo mesmo assim. Não busco ser uma modelinho, uma diva. Sou uma mulher de carne e osso e não de plásticas e quilos de maquiagem. Pretendo adiar, por quanto mais tempo melhor, o início do usode cremes anti-idade. Para mim a beleza está nos olhos de quem vê, e se ela se vai com o tempo, paciência. Quem sabe se enxergar com os olhos do coração tem a certeza de que é lindo.
Não sou gostosa, mas tenho cérebro, serve? Ao invés de ler uma revista de beleza, dessas de salão de cabeleireiro, prefiro ler um bom romance. Prefiro essência á aparência. Te incomodo? coitadinha. Você tem peitos, bundão, cinturinha de pilão, e é linda, admito; de boca fechada. Eu? Tenho neurônios, boca, bons argumentos, muita lábia, um pouquinhp de conhecimento do mundo e altas doses de bom humor.Você disputa um concurso de beleza, eu um concurso público. Não são comparações. Pare e pense: Eu sorrio tos so dias ao aprender algo novo, você só quando ouve uma cantada barata ou quando vai sair para estrear o novo modelo de sutiã que dá aquela levantada. Eu sou feliz sempre, você de vez em quando.
Não sou gostosa e sou feliz e ponto final. Porque existem mulheres e mulheres, e várias maneiras de se ter um universo feminino. Sem restrições, pq toda regra tem sua exceção. Eu talvez seja a exceção desse " mundiinho rosa" ao qual nunca pertenci.

[ ...eu me rendo aos teus encantos...]





[...] Hoje eu me peguei pensando em você. Boba, suspirando e imaginando o nosso futuro. E me deixei levar pela emoção, pelo gostinho doce de saber o quanto é sincero esse sentimento que vem crescendo dentro de mim. Eu já sonhei com você, já fui dormir várias noites pensando em vc, eu já fiz planos pra nós. Tudo isso sem o que todos julgam ser o essencial: o toque, a presença física. Mas eu acredito que nunca senti algo mais puro e verdadeiro antes de você chegar. Não nos conhecemos, mas já há tanto de você em mim, as nossas conversas, os meus desabafos, e vc sempre ali, e a nossa intimidade crescendo, e o que eu sinto por você , também. Não sei se é amor, prefiro não me precipitar e continuar deixando meu coração sentir o abstrato, o puro, sentindo com detalhes, imaginando você. E se amor for, quando nossoa lábios se tocarem pela primeira vez eu sei que meu coração me dará sinais e me fará senti-lo bater no mesmo ritmo que o teu. Enquanto isso, eu vou imaginando você e te mantendo amado nos meus sonhos, e protegido dentro de mim, acreditando na possibilidade de num futuro não muito distante te fazer meu e te mostrar como o mundo pode ser maravilhoso com amor de verdade. E além de amante, quero ser tua amiga, companheira e dividir cada momento contigo. Eu ja sei teu telefone, ja sei teu sobrenome,ja sei ao menos o tom da tua voz, mas prefiro ainda assim , esse amor abstrato que está com os dias contados e prestes a se tornas concreto. Eu não sei explicar, mas pela primeira vez na vida, não sinto medo de amar. E você, esse amor de menino? Cada vez mais perto de mim, cada vez mais encantador. P.S: Promete que quando me conhecer, não me larga nunca mais? [...] trilha sonora: Marisa Monte- A sua: Eu só quero que você saiba que eu estou pensando em você, agora e sempre mais. Eu só quero que você ouça, a canção que eu fiz pra dizer Que eu te adoro cada vez mais E que eu te quero sempre em paz. Tô com sintomas de saudade Tô pensando em você E como eu te quero tanto bem Aonde for não quero dor Eu tomo conta de você Mas te quero livre também Como o tempo vai e o vento vem Eu spo quero que você caiba no meu colo porquê eu te adoro cada vez mais Eu só quero que você siga para onde quiser, que eu não vou ficar muito pra trás

[...] Protegida do amor [...]


E nesse mundo de desilusão, de insegurança e de sonhos jogados pela janela, eu me dou por contente. Contente por me sentir protegida, e protegida pelo mais forte de todos os guerreiros, aquele que ninguém nunca derrubou, muitos tentaram e ainda tentarão, lutar contra ele. Mas contra um guerreiro tão forte, qualquer luta é em vão. E todos se redem a ele, quer queira, quer não.
Ele vence guerras, e de geração em geração se faz presente em todos os tempos. Pode transformar o mundo, pode destruir barreiras, unir opostos e colocar frente a frente aqueles que nunca se enfrentaram. Essse guerreiro, possui o mairo exército já visto em todos os tempo da história, com os soldados mais fortes e ao mesmo tempo, mas fajutos. Os soldados somos nós mesmos, e nosso campo de batalha é o mundo.
Ele tem uma espécie de poção mágica que muda qualquer opinião num estalar de dedos e qualquer ambiente em um piscar de olhos. Ele nem sempre é assim tão evidente, na verdade, manter a descrição é uma das suas características mais marcantes: nunca se consegue saber quando ele chega ou quando vai embora. Mas sempre se tem a certeza de que sem ele não somos nada e que sua presença é tmepo integral e nos quatro cantos do mundo. Ele é o pequeno notável
Todo o poder, toda a força, tudo numa coisa só. E que consegue se colocar acima de tudo sem ser nada além de ninguém, humildade sempre à frente. Alguns o julgam como o mal nessecário, outros como o pecado irresistível. Mas acima de tudo ele é protetor, e eu sua protegida.
Quem? quem me protege de todos os males, quem não me deixa perder a esperança num mundo onde o cinza já toma o lugar do azul do céu, mesmo nos dias de sol ? Quem me dá forças pra tentar ser ainda uma sonhadora num mundo onde gente ama coisas e usa pessoas? Num mundo tão poluído pela inversão de valores, e o que é pior e mais trágico, pelo esquecimento da sublime existência de meu protetor.
Sim, eu sou uma protegida do amor, protegida pelo amor. Por isso todas as lágrimas são em maior parte de alegria do que de tristeza. Todas as gargalhadas são de felicidade e não se cinismo, nada de sorrisos amarelos. E é pelo amor, que toda noite ao fechar meus olhos para dormir, eu encontro em meus sonhos o mundo do meu protegido; o mundo no qual eu mantenho minha vida secreta, recheada das aventuras dos caminhos do amor.
Estou selecionando pecinhas preciosas para fazerem parte da legião dos protegidos do amor? Alguém se habilita?
[...]
" porque aqueles que são feitos de amor, fazem desse mundo, um mundo menos cruel e preservam a beleza de seus sonhos."

[.Castelos de sonhos.]




Nossas vidas são construídas de sonhos, ou talvez de coisas concretas. Tem gente que ama pelo valor material, pelos benefícios e proveitos que o amor pode trazer, tem gente que não sabe amar, tem gente que não quer aprender e tem gente em falta para ensinar. Tem gente que não acredita em amor a primeira vista, em amor eterno ou em alma gêmea. Tem gente que vê o amor como uma convenção social, deve-se sempre se sair como o mais favorecido por todos os lados. E assim, entre definições sem nexo, o amor vai se moldando ao mundo de ilusões, desigualdades, e paradoxos em que vivemos e construímos nossos castelos, uns muito bem construídos, com tudo do bom e do melhor, todo o conforto disponível e toda futilidade indispensável, tudo dentro da formalidade barata que compramos junto com nossos cartões de crédito, mas ocos e sem essência. E existem castelos de areia, frágeis e delicados, que se despedem do mundo logo que a primeira ventania dá os primeiros sopros e passa levando embora a fragilidade da falta de alicerces, a eles falta consistência. E existem castelos fortes, não feitos de pedra, nem feitos de areia, mas feito sob alicerces que não se encontram á venda, artefatos que só dispõe quem conhece a real definição do que é, hoje, tão distorcido: Ama-se e deixa-se de amar com a facilidade que colocamos nosso lixo nas ruas todos os dias. Os castelos fortes de verdade, não desmoronam nem mesmo com as ventanias mais brutais. Os castelos de verdade, na chuva ou no sol continuam com a mesma firmeza que ostentavam na primeira semana após serem construídos. E os alicerces que os sustentam não perdem o vigor com o passar dos dias não enfraquecem e nem sofrem nenhum tipo de abalo. As paredes não racham, a pintura não descasca, as janelas de ferro não enferrujam, as fechaduras não emperram, a caixa d’água está sempre cheia e a fiação elétrica está sempre em perfeito estado. Porque a massa corrida usada nas paredes é feita de confiança, a tinta da pintura é feita de companheirismo, as janelas de ferro envernizadas de esperança; a fechadura de fidelidade, a caixa d’água é feita de fé e a fiação elétrica transporta ondas de positividade que contagiam todo o ambiente. E o mais curioso dos castelos fortes, é o detalhe da porta da frente estar sempre aberta, todos podem entrar; ninguém é barrado, o soldado que faz a vigia é a justiça, não há desigualdade dentro dos castelos fortes, entra quem quiser e poucos saem sem algo mudado no interior. A porta da frente está sempre aberta porque o amor é quem a mantém assim. E o segredo dos castelos fortes é colocar toda a família do amor no projeto, desde a planta ao castelo propriamente dito. Nós somos senhores de nossos destinos, e construímos nossos castelos da maneira que decidimos e achamos melhor. Mas há controvérsias. Se nos perguntassem que tipo de castelo construímos ou pretendemos construir; nossa resposta seria unânime: Todos nós responderíamos pelos castelos mais fortes. E a maioria de nós acredita plenamente que é isso que se está fazendo. Mas nem sempre estamos com essa bola toda. E aí entra em cena, um engano fatal: Os falsos castelos,que muitos de nós construímos pensando construir castelos fortes de verdade. Mas porque falsos castelos? Porque não cultivamos genuinamente a família do amor, no interior de nós e não colocamos essa família como reflexo de nossas atitudes. E então descobrimos que poucos castelos permanecem em pé. Os castelos que construímos são como nossos sentimos, são construídos pelos nossos sentimentos. E são nossa morada. Castelos falsos são sentimentos que passam, que não permanecem, que não são verdadeiros. Castelos fortes pertencem ao melhores corações e aos mais raros donos. Conservam além da maior realeza, o segredo da felicidade e de uma vida verdadeiramente digna deste título. Castelos fortes, são daqueles que amam de verdade, que ensinam a amar que não olham a quem amam pela cor, pela classe social ou pela orientação sexual. São daqueles que ainda fazem desse mundo um lugar onde o amor consegue vencer todos os obstáculos que o querem sufocar e se faz presente em cada raio de sol a iluminar um canto do mundo, em cada mão estendida para o bem. Agora eu te pergunto. Qual castelo é o seu? Qual castelo você quer construir daqui em diante que tipo de engenheiro civil você é? Diplomados ou não, todos nós sabemos como construir castelos fortes e fazer desse mundo um lugar onde ainda pode-se acreditar, viver em paz, e um lugar de verdades consistentes e não de invenções sem sentido. Um lugar de amor e não de dor, um mundo de verdade e não de ilusões de castelos perdidos entre verdades inventadas.

[ ... Eu e Mário Quintana...]


Não quero alguém que morra de amor por mim... Só preciso de alguém que viva comigo, que queira estar junto de mim, me abraçando. Não exijo que esse alguém me ame como eu o amo, quero apenas que me ame, não me importando com que intensidade. Porque para mim, o que importa é justamente o que não se poder ver, o sentimento, tudo aquilo que se passa do lado de dentro.
Não tenho a pretensão de que todas as pessoas que gosto, gostem de mim... Nem que eu faça a falta que elas me fazem, o importante pra mim é saber que eu, em algum momento, fui insubstituível... E que esse momento será inesquecível... Só quero que meu sentimento seja valorizado. Não precisa de juras de amizade ou amor eterno, apenas um viver intenso de todas as situações, onde se consiga tirar de cada pessoa o melhor que ela tem em si e que pode ser compartilhado com o mundo. Mas parece que intensidade é algo muito banal aqui onde eu vivo, as pessoas são tão fúteis, amam e desamam com tanta facilidade. São sentimentos que se misturam, e no final, ninguém sente nada por ninguém, só alguns ingênuos como eu insistem em cuidar dos outros e serem verdadeiros. A regra agora é : "amor sem retribuição. " A vida está nos ensinando que não devemos esperar nada dos outros, apenas nos contentarmos com as ilusões que eles nos fazem vier.
Quero sempre poder ter um sorriso estampando meu rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre... E que esse meu sorriso consiga transmitir paz para os que estiverem ao meu redor. E manter esse sorriso em meio á todas as tempestades, esconder por trás dele, as lárgimas, que eu prefiro derramar por felicidade, por algeria, ou de tanto dar risada, nem que seja rindo de si mesmo. Falta bondade, vontade de entender e ingenuidade de criança no c
oração das pessoas. Sorrisos são de fachada, e cada vez mais amarelos. O meu?Continua aqui, mantendo viva a esperança de encontrar alguém que sorria da mesma maneira que eu, com naturalidade.
Quero poder fechar meus olhos e imaginar alguém... e poder ter a absoluta certeza de que esse alguém também pensa em mim quando fecha os olhos, que faço falta quando não estou por perto.Queria ter a certeza de que apesar de minhas renúncias e loucuras, alguém me valoriza pelo que sou, não pelo que tenho... Que me veja como um ser humano completo, que abusa demais dos bons sentimentos que a vida lhe proporciona, que dê valor ao que realmente importa, que é meu sentimento... e não brinque com ele. E que esse alguém me peça para que eu nunca mude, para que eu nunca cresça, para que eu seja sempre eu mesmo.Não quero brigar com o mundo, mas se um dia isso acontecer, quero ter forças suficientes para mostrar a ele que o amor existe... Que ele é superior ao ódio e ao rancor, e que não existe vitória sem humildade e paz. Mas temo e confesso com profundo desgosto que acho que esse é mais um sonho bobo da puequena garota que ainda acredita no amor.
Quero poder acreditar que mesmo se hoje eu fracassar, amanhã será outro dia, e se eu não desistir dos meus sonhos e propósitos, talvez obterei êxito e serei plenamente feliz.Que eu nunca deixe minha esperança ser abalada por palavras pessimistas... Que a esperança nunca me pareça um "não" que a gente teima em maquiá-lo de verde e entendê-lo como "sim". Quero poder ter a liberdade de dizer o que sinto a uma pessoa, de poder dizer a alguém o quanto ele é especial e importante pra mim, sem ter de me preocupar com terceiros... Sem correr o risco de ferir uma ou mais pessoas com esse sentimento.Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão... que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades a às pessoas, que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim...e que valeu a pena!!!
E entre tantos quereres, alguns considerados tolos quando vistos colocados na realidade desse mundo em que vivo, eu venho trilhando um caminho, de sonhos, de fantasia, de coisas puras, sentimentos sinceros, pessoas especiais, algumas lágrimas, algumas ilusões, mas acima de tudo; muito amor. Esse tem pra dar e vender, sobra aqui, tem pra quem quiser e precisar. Mas parece que até ele está sendo esquecido, ou camuflado entre as coisas falsas e sem valor que esse povo diz ser amor. Mas o amor que eu conheço e cultivo é diferente, não são todos que os conhecem, que tem a oporunidade de tornarem-se melhores com ele. Mas eu sim, e quando eu encontrar alguém que eu julgue merecedor de ser aprendiz do amor que eu conheço, eu poderei dencansar e esquecer que um dia o mundo já esteve assim, tão perdido. A minha parte eu terei feito, terei dado amor a alguém, e mostrado um vida verdadeiramente digna do título de vida. Mas enquanto esse alguém não vem, cá estou eu, esperando pacientemente e guardando cada vez mais amor. Se tudo não passar de mais um sonho perdido, por favor, me deixe permanecer na eterna ilusão de ainda acreditar no amor.
[...]
Texto de Mário Quintana, com modificações minhas.
[...]
" Desejo que você tenha a quem amar, e quando estiver bem cansado, que ainda, exista amor pra recomeçar... Pra recomeçar."
[Barão vermelho.]

[ ... menino veneno... ]




Eu não o conheço, mas meu pensamento procura por ele quase que o tempo todo. Ele mora nos meus sonhos e está cada vez mais perto do meu coração, prestes a fazê-lo amar de novo.
Eu não sei formamos um belo casal, se a gente vai dar certo, se vai ser sempre ou se eu serei eternamente do querer dele. Mas eu espero pelo dia de encontrá-lo, chamá-lo de meu, sentir seu corpo colado ao meu. Mãos dadas, sem nada que possa nos atrapalhar, poder sentir o coração dele batendo junto ao meu, como se fôssemos uma a metade que completa a outra.
Eu não sei dizer se ele é a menino que vai caber em meus braços, mas sei que o encaixe entre a gente vai acontecer assim que nos encontrarmos, que eu roubar dele o primeiro sorriso e que ele disser que me ama, assim, pertinho, pela primeira vez. E ele já é dono do meu sorriso, antes mesmo de eu poder senti-lo perto.
Ele é aquele que tem embalado meus sonhos, que tem me feito suspirar e deixado meu sono bem mais leve com sua companhia. Ele tem sido o que ninguém já havia conseguido ser, ele tem se tornado especial e tem me feito sentir borboletas no estômago toda vez ao pensar em nosso futuro.
Ele é aquele que meu pensamento busca quando ao meu coração pedem o significado da palavra amor. Ele é aquele que tem feito eu tirar meus pés o chão e por instantes me sentir amada. Ele veio, ou eu o encontrei, não sei explicar. Talvez foi o amor que tentou nos juntar, e que seja assim, com esse gostinho de paixão proibida, de coisa dferente, pra sempre, até que a gente não aguente arder de amor.
Ele é minha pequena paixão, quero cuida-lo, mima-lo, sentar no seu colo e gritar pro mundo que eu encontrei o homem da minha vida, aquele que esperei por tempos, e que não vou largar nunca mais. Eu quero poder tê-lo comigo, dormir e acordar ao lado dele, quero preparar café da manhã, almoço e jantar, quero dar a ele além do amor mais sincero, as melhores lembranças de felicidade.
Ele é aquele que eu tenho tentado conquistar. Desejo a chave pra abrir teu coração, e tirar de ti esse medo de amar. Desejo estar com ele em cada momento, nos mais tristes e nos mais alegres também . E fazê-lo esquecer que um dia já lhe fizeram mal.
Ele é aquela que virá ao meu encontro para me fazer sentir mulher, para provar do meu amor e desfrutar de tudo o que de melhor pode ser compartilhado com alguém. Ele é aquele com a qual eu fugiria pra bem longe, só pra tê-lo comigo.
Sonho com o gosto do beijo dele, sonho com amor dele pra mim, sonho com ele comigo. Sonho de amor que num futuro não muito distante se fará minha realidade. Realidade de amor sem fim!
[...]
trilha sonora:
Marisa Monte - não vá embora
E no meio de tanta gente eu encontrei você
Entre tanta gente chata sem nenhuma graça, você veio
E eu que pensava que não ia me apaixonar
Nunca mais na vida
Eu podia ficar feio só perdido
Mas com você eu fico muito mais bonito
Mais esperto
E podia estar tudo agora dando errado pra mim
Mas com você dá certo
Por isso não vá embora
Por isso não me deixe nunca, nunca mais
Por isso não vá, não vá embora
Por isso não me deixe nunca nunca mais.

[...] Aprendi [...]


[...] Aprendi [...]

E eu aprendi sem a gramática a conjugar o verbo amar.
E eu aprendi sem o dicionário que saudade não tem tradução.
E eu aprendi sem a calculadora, que um mais um pode continuar sendo um.
[...]
Aprendi que hoje a verdade é inventada.
Que o ser humando compra tanta coisa, que pouco falta pra encontrar-mos amor á venda para pagamento em suaves prestações com nosso cartões de crédito.
Que somos livres, apenas de nós mesmos, que hoje ninguém é de ninguém e que isso prova como o amor mudou de significado ao longo dos tempos.
Aprendi que nem sempre o que é certo prevalece, que bonzinhos não vão para o céu e que contos de fadas não existem. O felizes para sempre é coisa de livro e filme msmo. E o discurso que os noivos no altar fazem um ao outro está mudando. tudo tão supérfulo que pouco falta para ouvirmos: [...] " até que um outro nos separe" [...] ao invés de " até que a morte nos separe."
Aprendi que viver é aprender, que tem gente que não vive por culpa dos outros. Que amor faz mal, quando não bem correspondido, e pra justificar isso os homens inventaram a "depressão". E tem tanta , mas tanta gente doente assim hoje. É, o que chamam de amor está mudando.
Aprendi que viver é ensinar. E que para ensinar algo á alguém vc não precisa ser lá muito inteligente, nem saber fazer o que ninguém faz. Basta querer ensinar o que hoje está se perdendo. Ensinar respeito, ensinar o não preconceito, ensinar a sorrir de verdade. E pra isso, faculdade nenhuma dá dilpoma.
Aprendi sonhando que o mundo um dia vai deixar de ser mundo. E quando esse dia chegar, seremos nós contra nós mesmos. Nossos medos, nossas alegrias ainda que fajutas, nossos sorrisos amarelos, nossos cartões de crédito, nossos carros impotados.... e tudo, tudo o que cultivamos irá para o espaço. E aí cada um vai descobrir quem realmente é e qual sua parcela de culpa para tudo ter chego ao ponto que está.
[...

[...] Palavras ao vento. [...]


Eu gosto mesmo é de vestir a folha nua. Nada de papel pelado perto de mim.
Adoro sujar um papel com palavras soltas, sentimentos traduzidos ou pensamentos colocados para fora da alma.
Tédio? eu sei rapidinho como reolvê-lo. É só ter por perto uma caneta e uma folha de papel dando bandeira. Nem sempre com a melhor inspiração, mas sempre com a melhor das intenções.
Ás vezes chego a pensar que sou feita de palavras, meu mundo sem elas é tão imcompleto. E não há nada melhor que encer as linhas de uma folha. Seja uma carta, um bilhete ou simplesmente um "muito obrigada". O importante é exercitar o punho na arte da caligrafia desenvolvida. E escrever sempre em busca de novos horizontes. Triste ou feliz, chorando ou sorrindo. Com chuva ou sol eu escrevo; sempre com a mesma disposição. E chego á arriscar o palpite de que minha maior paixão é escrever. Está na minha essência, colocar no papel tudo o que trago subentendido em mim.
Durmo muito mais tranquila e acordo muito mais disposta quando escrevo. Escrever faz bem á pele, funciona como um antídoto contra o envelhecimento precoce. Sempre posso ser o que eu queiser escrevendo. Pode ser também uma "pílula anti-stress". Nada como esquecer dos problemas gastando tinta de canetas e folhas de papel. Folhas aque s eenchem não só de palavras, mas de verdades, de vontades, de sentimentos, das melhores e piores espécies.
Escrevo pra viver em paz comigo mesma. Porque escrever para mim é tão essencial quanto respirar. Mesmo que muito do que eu escreva só tenha o meu eu lírico como leitor, eu escrevo, e escrevo sem medo. Porque o mundo não pode perder a magia contida na beleza da combinação de palavras de forma agradável aos olhos, e formidável ao coração.
Escrevo porque vivo, escrevo porque amo. Escrevo pq pra mim, é isso que faz sentido.

Nela...






[...] Encontrei a inspiração. [...]
Todo mundo tem um ídolo. Alguém por quem se tem muita admiração, alguém que lhe faz dizer pra si mesmo: " Quero ser como você quando que crescer." Pode ser o pai, a mãe, um cantor de rock, uma artista, ou um escritor. Minha predileção sempre foi a literatura. Minha mãe me conta que quando eu aprendi a ler, nos tempo de prézinho no colégio; armei uma verdadeira guerra em casa. Sair de carro, com aquela menina de 5 anos era pedir pra levar buzinassos e xingões no trânsito. Eu fazia um berreiro se não conseguisse ler todos os autdorrs que meus olhinhos de criança conseguissem enxergar. E ai daquele que tentasse me ajudar. Mamãe conta que eu falava que sabia ler sozinha. E se meu pai não parasse pra que eu lesse, o destino era certo: ouvidos peparados que o choro vinha. Fazia manha. A persistência da pequena menina encantada com o mundo das letras vingou. Hoje, é, digamos que eu ainda seja uma menina, mas uma menina mulher. Bem, hoje sou um verdadeiro rato de biblioteca. Leio tudo, costumo dizer que de bula de remédios à pensamentos. De tanto me entreter com a leitura, descobri que escrever era um santo remédio para tudo. E ficar sem escrever um dia, é tortura. E como toda caloura na área eu tenho minhas inspirações. Gosto de Clarice Lispector, entre outros autores. Mas Clarice é conhecida de longa data. Encontrei em meio ás minhas pesquisas da internet, através de um texto indicado por uma amiga, o tal ídolo. Ela na verdade. Passei mais de uma hora ontem á noite, lendo crônicas de Martha Medeiros, e descobri que essa gaúcha de 47 anos é a fonte inspiradora dessa garota que sonha em ser jornalista, e da estirpe dela. A crônica lida por mim ontem, na postagem do blog de Martha me fez ter disposição para assistir ás 6 aulas da manhã de segunda-feira sem reclamar. E não me aguentei, na aula de redação, comentei sobre Martha com minha professora. Ela disse não conhecer, e prometi levar um material sobre a autora para ela amanhã. E cá estou eu, imprimindo crônicas e vasculhando o arquivo do blog dessa jornalista brilhante. Eu sonho com muita coisa, e já tentaram me fazer deixar de sonhar com a carreira de jornalista muitas vezes; sendo que esse é meu sonho mais antigo. Agora eu penso comigo: eu vejo Martha, leio seus textos e quero ser como ela. Como é que querem me proibir de sonhar tendo eu um exemplo e inspiração tão entusiasmante? Bem dizem que jornalista é aquele que bota o nariz sempre onde nunca é chamado, achei a Martha por acaso, mas tenho certeza que não foi por acaso que a adotei como "ídolo". Quero ser grande, quero ver meus textos sendo lidos como os dela. E se o mundo pertence áqueles que acreditam na beleza de seus sonhos, o mundo é meu, e num futuro não muito distante meu nome estará estampado em folhas de jornais e nas livrarias. Que eu seja como Martha. Que a literatura também tenha me escolhido para fazer parte do seu grupo de amigos.

Mudar...

a

a mundança reside no introspecto.
[...] E para que as coisas mudem, é necessário que você mude primeiro. A gente reclama, somos tinhosos e teimosos naturalmente. Já percebeu como o ser humano é contraditório? Quando cove reclamamos para sair de casa e enfrentar uma cidade um pouco mais tumultuada. Quando faz sol, reclamamos porque suamos e ficamos com os pés inchados. Se estamos namorando, reclamamos por não saber conviver perfeitamente com a pessoa que nos acompanha. Se estamos sozinhos, reclamamos da carência da solterisse. Quando somos crianças, reclamamos porque queremos crescer logo e ser "gente grande". Quando crescemos, reclamamos querendo voltar à infância. Se a comida está muito salgada, reclamamos. Se a fruta está muito madura reclamamos. Com um congestionamento no trânsito, reclamamos. Para ir à padaria apé, reclamamos. Reclamamos para acordar cedo, trabalahar de segunda à sexta e almoçar macarronada aos domingos na casa da sogra. Colocamos defeito em tudo. Somos exigentes, perfeccionistas demais? Não, somos chatos enrustidos, egoístas; e fúteis ao extremo. Pensamos em nós, como se o mundo girasse em torno de nosso umbigo. Agimos por impulso, sofremos por antecipação e nos arrependemos excessivamente. Não somos cautelosos, sensatos, ponderados ou pacientes. Somos essencialmente imediatistas; mas não movemos uma palha quando o imediato dos outros não é o nosso. Falamos e questionamos o tempo: não sabemos como administrá-lo, achamos que o dia deveria ter mais de 24 horas. Mas gastamos tempo demais falando dos outros e acabamos esquecendo de nós mesmos. Não é e de se admirar que a depressão seja hoje uma mazela tão popular. É o reflexo da contraditoriedade humana sendo expulsa de nossos corpos. Já não temos controle sobre nós mesmos. Esatamos extrapolando nossos próprios limites. Atirar obejtos nas paredes,. gritar ensandecidamente ou passar horas semanais no terapeuta já não são recursos capazes de curar nosso mal. Incessantemente vivemos confusos conosco mesmos. As primeiras evidências desse paradoxo já estão coemçando a aparecer: Filhos atirados pela janela e pais assassinados por filhos. Fatos que chocam, amedrontam e causam repugnância ao ver que somos todso iguais e ao mesmo tempo tão diferentes. Para que as coisas mudem, é necessário que você mude primeiro. Deixe de reclamar um pouco da vida e dos outros e preocupe-se com uma causa urgente e necessária: cuidar do pouco que resta do legado de subalternidade como qual fomos presenteados, e que é vulgarmente conhecido como vida. Já não tão digna desse título, mas sobrevivente em meio à tantas desgraças num mundo perdido e nefasto por culpa de seus próprios mantenedores. [...] Trilha sonora: Lenine- Paciência. Mesmo quando tudo pede Um pouco mais de calma Até quando o corpo pede Um pouco mais de alma A vida não pára... Enquanto o tempo Acelera e pede pressa Eu me recuso faço hora Vou na valsa A vida é tão rara... Enquanto todo mundo Espera a cura do mal E a loucura finge Que isso tudo é normal Eu finjo ter paciência... O mundo vai girando Cada vez mais veloz A gente espera do mundo E o mundo espera de nós Um pouco mais de paciência... Será que é tempo Que lhe falta prá perceber? Será que temos esse tempo Prá perder? E quem quer saber? A vida é tão rara Tão rara...

O amor é.


O amor é a rotina da paixão. É ter pra quem ligar quando se recebe um boa notícia, é ter com quem tomar um café numa tarde de inverno. É ter com quem rachar a conta do restaurante, do motel. É ter companhia garantida pra viagem. O amor, é ter pra quem mandar e-mails apaixonados no meio da tarde, após uma reunião chata onde seu chefe falou um monte de porcarias. É ter quem esquente seu pé quando você perde as meias em meio aos lençóis. É ter uma massagem, um banho preparado, um chá quentinho quando não se está muito bem do estômago. O amor é o acordar nas segundas-feiras com uma voz talvez tão sonolenta quanto a sua ao pé do ouvido, dizendo: Bom dia amor. É ter pra quem contar toda a sua semana, falar do tempo que levou pra chegar em casa, naquele engarrafamento. É ter pra quem ligar e falar: bati o carro, vem me buscar. O amor é doce sabor do primeiro gole de vinho no meio do jantar.O amor são as roupas jogadas ao chão fazendo um caminho da cozinha até o quarto. É ter quem abraçar no dia dos namorados e em qualquer outro dia do ano. O amor é ter pra quem preparar a comida preferida. É ter com tomar aquele vinho argentino, que por vez se ganha e deixa-se guardado. É ter quem te ofereça uma toalha quando vc chega em casa enxarcado pela chuva. O amor é ter pra quem mandar um cartão junto com rosas vermelas, é ter pra quem escrever cartas, letras de música. É ter a companhia perfeita pro show do Caetano, pra um sorvete no verão e um chocolate quente no inverno. É ter quem te tire sono fazendo vc se revirar com pensamentos perversos, e ter quem que tire o fôlego com um beijo. É ter quem faça vc arrepiar da raiz dos cabelos á ponta dos pés, ao simples toque da pele. É ter quem te faça suspirar pelos cantos e colocar a foto no papel de parede do computador. É ter quem saiba te tirar o stress de um dia todo com um simples sorriso. Ou te estressar por ciúmes. O amor, é ter companhia pro cinema, pro parque, pras compras, pra fila do banco, pra domingo na casa da sogra e pra uma noite de sono, ou de pecados. O amor é ter com quem fazer tudo ou nada, e ter o mesmo prazer. É ter com quem fazer não importa o quê.

[simples assim]


Seria tão simples sair por aquela porta e conhecer alguém sem precisar procurar no meio da multidão. Sem precisar criar aquela expectativa depois do primeiro beijo: "será que é você?" Alguém que soubesse se aproximar sem ser invasivo ou que não se esforçasse tanto para parecer interessante; alguém que fosse interessante de verdade, mas extremamente simples. Alguém de quem eu não quisesse fugir quando a intimidade derrubasse nossas máscaras, com que eu pudesse ser eu mesma as 24 horas do dia. Que segurasse minha mão e tocasse meu coração. Que não me prendesse, não me limitasse, não me mudasse; alguém que me roubasse um beijo no meio de uma briga e me tirasse a razão sem que isso me ameaçasse. Que me fizesse rir das idiotices que falo, que me desse mais motivos pra sorrir.Que me dissesse que eu cozinho bem, que eu falo demais e que risse das vezes em que eu fosse desastrada; alguém de quem eu não precisasse.. mas com quem eu quisesse estar sem motivo certo.Sem ter obrigaçaõ, sem ter aquele compromisso da monotonia, do descaso. Sem ter aquela coisa chata da rotina. Alguém com qualidades e defeitos suportáveis, que não fosse tão bonito e ainda assim eu não conseguisse olhar em outra direção. Alguém que me prendesse, mas não de uma maneira controladora, que me prendesse pelos sentimentos, e não por compromissos muitas vezes sem sentido. Alguém que me encontrasse até quando eu tento desesperadamente me esconder do mundo. Alguém que acordasse ao meu lado, e dormisse também. Alguém que risse das minhas piadas sem graça, que risse da minha cara, que me fizesse eccontrar um sentido em estar com alguém. Queria sair por aquela porta e conhecer alguém imperfeito,feito pra mim. Mas nada é assim tão simples, e se as coisas fossem assim, todas ao nosso modo, não seriam tão gsotosas de se viver.

[O querer do proibido]





“Tenho juízo, mas não faço tudo certo. Afinal, todo paraíso precisa de um pouco de inferno”. E o meu paraíso é bem mais inferno que paraíso aos olhos de quem vê de fora.

Eu simplesmente não fui criada ou nascida pra ser mais uma a obedecer os moldes e regaras dessa sociedade machista e autoritária. Pra mim lugar de mulher é na revolução, disputando tudo o que puder com os homens, e sempre que possível, se colocando á frente deles. Porque existem mulheres que lutam pra serem iguais aos homens, para ganhar os mesmos salários, trabalhar na mesma carga horária. Já eu não, eu quero mais que isso. Eles já ficaram á frente em muitas coisas e durante muito tempo. Se é pra disputar com eles, estou no tatame e só saio dele vencedora. Eu luto pra ser mais que os homens. Pra deixar de ser humilhada por eles.

"Há homens que têm patroa, há homens que têm mulher, há mulheres que escolhem o que querem ser”. Nem preciso falar em qual categoria eu me encaixo. Eu nasci pra casar, pra tomar conta do lar, pra passar o domingo á beira do fogão, pra passar roupas ir dormir pensando no cardápio do almoço de amanhã. Sim, eu nasci pra isso.

Mas entrar na igreja de branco, e ficar sendo escrava de um marido o resto da vida? Não. Pra isso eu não nasci. Eu nasci pra ser independente, pra conquistar as minhas coisas, pra ser dona do meu nariz. E homem nenhum vai botar o bedelho no que é meu. Minha mãe já diz: “Nem seu pai manda em você, quem dirá um marido te mandar.” Nunca meu pai precisou me dar ordens,ela sempre me diz que preciso de um "domador",não de um marido,rs.

Eu nasci pro amor, pra ser amada de verdade, pra compartilhar tudo. Pra ter ao meu lado, alguém que me veja acordar com o cabelo desgrenhado e com a cara amassada e mesmo assim não deixe de amar. Alguém que durma ao meu lado, e acorde ao meu lado. Alguém pra eu fazer massagem depois do dia de trabalho. Pra eu fazer a comida preferida. E isso, mas eu espero encontrar isso em um homem só . Até porque pra ser tudo isso, tem que ser muito mulher. Sim, eu sou dessas mulheres que escolhem o que querem ser. E eu quero ser mulher, e patroa. Do meu homem.

Quero ser a menina que fica boba, apaixonada olhando a foto colada na parte de trás da agenda, que escreve cartas melosas e faz juras de amor. E quero ser a mulher, que prepara a cama, o banho, os lençóis, que escolhe a lingerie da cor que ele gosta, que arruma os cabelos como ele gosta, que coloca o perfume que ele se arrepia ao sentir o aroma. Quero ser a amante que manda flores após a primeira transa. Quero ser todas em uma só. E quero um só pra mim, pra viver junto. Pra beijar e transar, pra brincar e brigar e depois fazer as pazes. Tudo como em filmes. Eu quero simplesmente ser mulher, sem incomodar ninguém. Ficar no meu inferno que é paraíso, ainda que escondido do mundo, mas feliz com o meu, o meu amor.

[pra se roubar um coração]


[pra se roubar um coração]
Para se roubar um coração, é preciso que seja com muita habilidade, tem que ser vagarosamente, disfarçadamente, não se chega com ímpeto, não se alcança o coração de alguém com pressa. Tem que se aproximar com meias palavras, suavemente, apoderar-se dele aos poucos, com cuidado. Não se pode deixar que percebam que ele será roubado, na verdade, teremos que furtá-lo, docemente. Conquistar um coração de verdade dá trabalho, requer paciência, é como se fosse tecer uma colcha de retalhos, aplicar uma renda em um vestido, tratar de um jardim, cuidar de uma criança. É necessário que seja com destreza, com vontade, com encanto, carinho e sinceridade. Para se conquistar um coração definitivamente tem que ter garra e esperteza, mas não falo dessa esperteza que todos conhecem, falo da esperteza de sentimentos, daquela que existe guardada na alma em todos os momentos. Quando se deseja realmente conquistar um coração, é preciso que antes já tenhamos conseguido conquistar o nosso, é preciso que ele já tenha sido explorado nos mínimos detalhes, que já se tenha conseguido conhecer cada cantinho, entender cada espaço preenchido e aceitar cada espaço vago. ...e então, quando finalmente esse coração for conquistado, quando tivermos nos apoderado dele, vai existir uma parte de alguém que seguirá conosco. Uma metade de alguém que será guiada por nós e o nosso coração passará a bater por conta desse outro coração. Eles sofrerão altos e baixos sim, mas com certeza haverá instantes, milhares de instantes de alegria. Baterá descompassado muitas vezes e sabe por que? Faltará a metade dele que ainda não está junto de nós. Até que um dia, cansado de estar dividido ao meio, esse coração chamará a sua outra parte e alguém por vontade própria, sem que precisemos roubá-la ou furtá-la nos entregará a metade que faltava. ... e é assim que se rouba um coração, fácil não? Pois é, nós só precisaremos roubar uma metade, a outra virá na nossa mão e ficará detectado um roubo então! E é só por isso que encontramos tantas pessoas pela vida a fora que dizem que nunca mais conseguiram amar alguém... é simples... é porque elas não possuem mais coração, eles foram roubados, arrancados do seu peito, e somente com um grande amor ela terá um novo coração, afinal de contas, corações são para serem divididos, e com certeza esse grande amor repartirá o dele com você. [..] luis fernando verissimo

Eu busco






"O essencial é invisível aos olhos." Eu busco aquilo que não se vê. A passos leves mas firmes e sem a menor pressa, eu sigo buscando aquilo que hoje muita gente quer encontrar, ou vive na ilusão de ter. Aquilo que hoje é retirado das gavetas interiores e colocado em prática com uma facilidade incrível, aquilo que muitos já disseram ser eterno, mas que hoje está se tornando cada vez mais usual e descartável. É , eu sou apenas mais uma que vive na terra dos grandes, e busca aquilo de mais pequeno que se pode ter, aquilo que dinheiro não compra, que tempo não apaga, que barreira alguma destrói. Buscando felicidade, mas além disso, a plenitude dela. Não querendo ter apenas dias de sol, claro que ás vezes nuvens negras aparecem, isso é inevitável e faz muito bem. Mas procurando manter o brilho do sol por mais tempo vivo, mesmo que o céu esteja cinza e nada represente prespectivas de melhoras. Apenas mais uma que sonha, e que se vê do tamanho do seu sonho. Que planeja, pensa e pensa e pensa de novo. Que não tem medo de correr o risco do "não dar certo" , prefiro a expectativa e a tantaiva colocada em prática qie a dúvida e a angústia de não ter tentando. Buscando caminhos alternativos, para ver se é possíevl encontrar o esconderijo desse tal amor . Sendo que hoje, um namoro começa com um " eu te amo" e semanas depois termina sem mais nem menos. E o "eu te amo" fica vagando, sem saber onde pousar, sem sentido, pq foi assim que ele foi usado. Ama-se e deixa-se de amar com uma frequência cada vez mais curta. É, eu busco o amor. Mas não esse amor que muita gente hoje diz sentir; não esse amor sem prazo de validade, não esse amor banal, não esse amor que nasce hoje e amanhã está jogado na lata de lixo, junto com as alianças de compromisso. Eu busco o amor da sinceridade, aquele que ficou sendo ensaiado durante bastante tempo em frente ao espelho antes de ser revelado num " eu amo você". Busco o amor da fidelidade, da fidelidade dos sentimentos, o amor que nos dá a segurança de ouvir um " eu te amo" e ter a certeza de que o amor dito por aqueles lábios é realmente seu. O amor, que não tem explicação, o amor do ficar sem ação, de perder o rumo das coisas, o amor do bem querer. Eu busco o amor que está morrendo, aquele amor de muitos casais de velinhos de hoje, aquele amor do companheirismo e da cumplicidade, que não solta a mão na primeira dificuldade, o amor de ter uma vida juntos, e não apenas uma rotina que de vez em quando é quebrada para não cair na monotonia. Eu busco amor da união, do estar comigo faça chuva ou faça sol. Aquele amor, que é dito e jurado, prometido em muitos altares todos os dias . O amor presente e puro: " na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, até que a morte nos separe. " Se bem que hoje, o discurso está na verdade mascarado , pq a interpretação feita é o drama do . " até que o outro nos separe". O maldito vício de pensar que a grama do vizinho é sempre mais verde e o instigante desejo de querer provar dela. Eu busco o amor dos pinguins, o amor de um só doração. Mas, será que não sonho alto demais? O meu medo é que ao acordar desse sonho, esse tal amor que eu busco não esteja mais ao meu alcance e eu só possa presenciar o seu sepultamento. Mas há esperanças de que o amor que eu busco, continue sobrevivente em meio ao jardim de espinhos em que transformou-se o nosso mundo

Pra quem está cego..por opção



Oi, eu estou bem aqui na sua frente, mas você insiste em não me ver. Tudo bem, opção sua, cada um enxerga o que quer. Mas enxergar somente a si mesmo é burrice e ver apenas um palmo a frente dos olhos também. O problema surge, quando você, sem ter idéia de como eu sou, sobe em seu pedestal da insignificância e resolve discursar sobre mim. Escolhe as melhores palavras pra insultar,julgar, criar um personagem . Talvez você não se enxergue também, antes de mais nada, e talvez me tenha por parecida contigo.Talvez não consiga demonstrar um pingo de auto-conhecimento e por isso se preocupe tanto em cuidar da vida alheia. Errando completamente. Pra começar, eu faço questão de ver as pessoas ao meu redor, e observa-las atentamente, e isso faz toda da diferença do mundo. Percebo que todos tem algo de especial, estando aí a graça da coisa toda. Percebo que as belezas não são minhas, estando aí o prazer .E a minha beleza diferenciasse das outras, efêmeras, apenas pelo fato de eu não torna-la um posse minha. Percebo você, inclusive, parado bem na minha frente, desviando seu olhar pra lá e pra cá toda vez que ele esbarra no meu; nervoso com a minha presença, estando aí ao ridículo. Não entendo porque te incomodo tanto. Veja bem, não há o que temer em mim. Não quero absolutamente nada que seja seu. Eu não sou nada que você também não possa ser. Você não precisa gostar de mim pra me enxergar, mas precisa me enxergar pra não gostar de mim. Ou gostar, talvez seja isso que você tema. Embora isso não faça sentido, já que a vida é bela,justamente quando estamos diante de algo que aos nossos olhos é belo e gostamos , certo? Não vou dizer que não me irrita essa sua cegueira especifica em relação a mim. Não estou aqui pra bancar a santa e a boazinha e fingir um personagem que não se irrita com nada, eu não sou inerte a você, isso é natural. Faço de tudo pra ser entendida na verdade, ou pelo menos, menos incompreendida por todos. Sempre me esforço ao máximo para que isso ocorra, alias, então, a sua total ignorância a meu respeito, após todo esse tempo de convivência mexe comigo de verdade, e me intriga: Porque eu te incomodo tanto se você diz não gostar nem um pouco de mim? Se sua intenção for mexer com a minha paciência e testar meus limites eu logo te aviso que anda perdendo seu tempo com besteira, pois você tentando me atingir com atitudes mesquinhas e a sacola do lixo pendurada na lixeira causam em mim o mesmo efeito. E se me dou o trabalho de escrever sobre esse tema sabendo que ele envolve você, certamente é porque tenho a plena convicção de que você não será capaz de enxergar o que há nesse monte de palavras reunidas talvez sem lógica alguma. Em outras palavras: preferia que você me esquecesse, mas até para poder me esquecer você vai precisar me enxergar. Enquanto não me olhar na cara, ao menos uma vez, ao menos por um segundo, vai continuar tudo como está : Você fugindo sistematicamente da minha imagem sem se dar conta de que esta andando em círculos. Um escravo de mim, em fuga constante portanto. Pode abrir os olhos, você vai ver que não sou um bicho de sete cabeças. Sou bem diferente de você, e isso e ótimo. Sou melhor que você em algumas coisas, e pior em outras. No que eu sou pior, pode virar pro outro lado e cantar vitória; no que eu fui melhor, contente-se em admirar-me e nem pense em me invejar, inveja pra mim é falta de fé em si mesmo, e se você não acreditar em você mesmo, quem é que vai crer? Enquanto você continuar me ignorando e fingindo que eu não existo você continuará sendo o que não só pra mim, mas pra muita gente que você ignora: apenas uma nuvem negra que logo logo irá embora. Se você quer ser apenas momentos soltos na vida de todos, continue seu caminho sem ter nada de bom a declarar. Mas se você quer ser uma estação toda, mude enquanto há tempo. Enxergue primeiro a si mesmo, a antes de olhar os outros, conscientize-se de seus defeitos e lembre-se que de tudo o que você fala poderá ser usado contra você algum dia. Há pessoas que acreditam que tudo aquilo que você deseja aos outros volta em dobro para você. Eu desejo apenas que você se encontre, porque na verdade, o que você realmente aparenta ser e alguém sem essência, sem ter onde se preservar, sem ter aquilo que a gente chama de ego, sem um pingo de amor próprio. Não há contra indicações: olhe pra dentro de si, e veja o mundo doente que esta aqui fora a tua espera, e comece a tua verdadeira história antes que o fim se confunda com o tempo em que você mesmo escolheu para começar a mudar.

Eu sonho ...e vc?





"Hoje acordei sem lembrar, se vivi ou se sonhei.” Viver é melhor do que sonhar. Sonhar: ato ou efeito de ter um ou mais sonhos. Fantasiar, devanear. Viver: existir, ter vida, fazer-se notável. Segundo dicionário é assim, mas na realidade as coisas são bem diferentes. A gente vive e vive sonhando, e sonha vivendo. Vive sem deixar de sonhar e sonha sem deixar de viver. Você sonha com o quê? Tem gente que vive sonhando, sonha pequeno e sonha grande , ás vezes coisas impossíveis, ás vezes sonhos reais pra uns e platônicos pra outros. A maioria das pessoas faz de seus sonhos uma projeção do seu futuro. Estudantes sonham com a formatura, com a faculdade. Trabalhadores sonham com a aposentadoria. Apaixonados sonham com o casamento , com o “juntar das escovas de dente”. Doentes sonham com a melhora . E todo mundo sonha com dinheiro. Mas e quem sonha, com o que já não faz mais parte do hoje e nem se encaixa no futuro? Quem sonha com o passado, quem faz dos sonhos um relembrar de saudades que nunca foram esquecidas, de momentos fotografados pela memória, quem sonha com aquilo que já foi.? Como fazem aqueles que fazem de um sonho uma vida? Um sonho de conquistar aquela mulher bonita, de fazer aquela viagem, de dar aquela festa ou de viver aquele dia, ou quem sabe viver de novo algo que já foi vivido anteriormente. Sonhar, não importa como ou com o quê você sonhe, não importa em qual categoria de sonhador você se encontre, o importante é sonhar. Já pensou em sua vida sem sonhos? O que o faria levantar da cama todos os dias e enfrentar o mundo lá fora se não aquilo com o que você sonha? O que é mais motivador do que sonhar? E o que é mais compensador do que um sonho realizado? Por essas e por outras razões, eu me coloco na categoria dos sonhadores absolutos e realistas. Eu levanto da cama todos os dias sem deixar meus sonhos no travesseiro, e para realizá-los eu começo pelos mais singelos, porque todos merecem realizar-se, dos mais bobos aos mais sérios. Para realizá-los eu não me alieno no mundo das nuvens, apenas vivo com os pés no chão mas com o coração lá no alto e com a mente equilibrando tudo. Racionalidade é o ponto chave para a realização de sonhos. Sendo assim eu venho conseguindo enumerar vários sonhos reais no meu livro de memórias e vou tirando um a um, pacificamente da minha lista de sonhos não realizados. Porque eu sei que nem todos os que sonharam conseguiram, mas sei também que os conseguiram tiveram a coragem de sonhar. E se ao nascermos ganhamos o direito de sonhar, como brinde temos o dever de tornar nossos sonhos reais. E o primeiro passo pra um sonho ser real é alguém acredite na possibilidade de realizá-lo. Se você acha que sonha com o impossível, saiba que o primeiro passo para torná-lo possível já foi dado. E acima de tudo, sonhar é arriscar, porque o mundo pertence àqueles que têm a coragem de sonhar e correr o risco de viver os seus sonhos. “ É preciso ter força pra sonhar e perceber que a estrada vai além do que se vê. “